Eu os recebo a todos com a mente e a alma abertas.

A qualquer dia, a qualquer hora, os que aqui passarem, colham uma flor deste jardim de pensamentos e sentimentos - que é nosso - e sintam que somos todos iguais.

O que nos pode diferenciar, são nossas almas e ações.
Portanto. caminhemos sempre em direção à LUZ por toda a vida. Façamos, se possível, amizades e tentemos ser solidários.

A Nação Brasileira necessita, entre muitos, de educação, saúde, trabalho e respeito aos Valores e Princípios que a dignificam.

Fundamental, outrossim, é o respeito às Leis Justas e a luta pacífica pelo Justiça Social verdadeira, não a que está sendo incutida nas mentes menos preparadas.

A final, amigos leitores, sintam-se livres para comentar sinceramente sobre o que lerem, para que possamos interagir.

Mirna Cavalcanti de Albuquerque































































Outras Páginas

quarta-feira, 18 de maio de 2016

"NÃO À CPMF, senhor Meirelles"!

Que se busque a solução JUSTA. Que sejam devolvidos aos cofres do Estado o que deles foi tirado e o que deles deixou de entrar por ações de politiqueiros que receberam propinas para favorecer governos corruptos - não dos bolsos dos cidadãos que, com seu trabalho, têm sustentado essa corja que vive de forma nababesca.  




A CPMF (Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira), foi instituída, com objetivo nobre por ideia primeira do dr. ADIB JATENE, (então ministro da Saúde), mas que JAMAIS foi atingido: a SAÚDE. Tanto assim é que, triste com o que vivenciava, pediu demissão.



Quando vimos que tal ocorria, muito trabalhamos para que os números dos vultosos valores fossem informados em jornais de ampla circulação. Nunca viemos a saber realmente do QUANTUM arrecadado, quais os destinos dos dinheiros que deveria ter sido sempre devidamente indicados: Estados, municípios, hospitais... verdadeira 'caixa preta'...

Mais e longas lutas se sucederam, pois a SAÚDE continuava a piorar, enquanto os ministérios e secretarias com 'status' de ministérios aumentavam e, consequentemente, ministros, secretários, 'aspones' e EMPREGADOS (não 'trabalhadores')... Movimentos sociais de toda a ordem recebiam 'ajudas'..., pois, por 'estranho' que possa parecer, mesmo tendo sido instituída para financiar a saúde, a própria lei não determinava esta obrigação e R$ 33,5 BILHÕES foram desviados para financiar setores outros que também desconhecemos quais...

"De 1997 a 2007, a CPMF (já então "PERMANENTE" , não "PROVISÓRIA") arrecadou R$ 223 bilhões. Em 2007, último ano de vigência da 'contribuição', foram recolhidos R$ 37,2 bilhões, segundo balanço divulgado pela Receita Federal".

FINALMENTE, obtivemos sua EXTINÇÃO em 2007... (*)

Houve tentativas posteriores - e infrutíferas de reimplementá-la - e justamente por aqueles que antes a combatiam. A nação estava mais do que farta de sustentar a vida nababesca de funcionários de um Estado que cada vez mais 'inchava' - sem motivo algum plausível e, pois NADA aceitável pela lógica.

Os motivos expostos contra a mesma pelo então presidente da OAB, Ophir Cavalcante e Paulo Skaf, persistem - portanto, não se alegue serem anacrônicos. Eu os transcrevo abaixo, pois totalmente de acordo com os mesmos.

"Jogar novamente no colo da sociedade a responsabilidade pela saúde, enquanto a máquina pública só aumenta seu gigantismo, é preocupante. A OAB vê com extrema preocupação essa proposta que está sendo introduzida na pauta política do país." e do presidente da Fiesp e do Ciesp (Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf: "A nossa posição é conhecida, somos contrários à criação e/ou aumento de qualquer imposto. A sociedade brasileira não aceita elevação da carga tributária. Ao contrário, quer a sua redução e o constante aumento de qualidade nos serviços públicos."

Portanto:"NÃO Á CPMF"!

Mirna Cavalcanti de Albuquerque
(*) - Há na internet diversos artigos meus a respeito do assunto.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

"As HYDRAS Tupiniquins - muitas cabeças e corpos"

                                                                             
O arrependimento do 'criador' de Dilma, seu maior erro.


Foi afastada pelo Senado Federal, consoante determina a Constituição e a observância do decidido pelo Supremo Tribunal Federal, a ´primeira mulher presidentA', com discurso de texto tão falso quanto suas ações. É discurso repetitivo, monocórdico, sem sustentação jurídica, muito menos moral; fala assemelhada em conteúdo às de seus seguidores - os mesmos que perderão seus cargos e as benesses deles advenientes.

Para ela, em seu diminuto entender, (sic) "não cometeu crime algum". Ao isso afirmar, desconsidera, uma vez mais, entre outros, os Poderes da República, a Lei Maior e a legislação subalterna no que tange aos crimes de responsabilidade que segue negando ter cometido, quando a realidade os comprovam.

Tendo ao lado, com semblante entristecido, seu já arrependido 'criador' e demais auxiliares, repete os mesmos falsos argumentos reiterada e cansativamente, consoante era feito no tempo de Hitler, ensinamento de Joseph Goebbels: "uma mentira repetida mil vezes, torna-se verdade".
Ella mente, como sempre tem feito e, pois, às palavras que profere, não se pode dar credibilidade alguma.

Triste ouvir sua 'indefensável defesa'. Triste saber também não tivesse lá colocada por seu 'criador', não estaria o Brasil na vergonhosa situação em que se encontra sob todos os aspectos que se lhe examine.

O país não deve mais seguir engessado por pensamentos que não se coadunam nem com sua história,nem com seu destino frente ao concerto das nações, Assim, para o bem do país - há que cortar as cabeças das 'HYDRAS TUPINIQUIMS'...


Mirna Cavalcanti.

Rio de Janeiro, 12 de Maio de 2016



segunda-feira, 9 de maio de 2016

MENSAGEM PARA O SEN. PAULO PAIM, vergonha do Rio Grande!


                                                                

NOTA INICIAL

Acabo de ler: "Grupo faz manifestação contra impeachment durante evento com Dilma" exatamente durante as palestras do Paim...
Estava eu certa. O artigo abaixo contem matéria na qual eu estava correta. 'Armado' o circo pelo senador Paulo Paim: vergonha para o meu Rio Grande. NÃO TEREI QUE 'PENITENCIAR-ME', MAS AQUELE SENADOR, 'PERANTE OS SEUS ELEITORES E O PAÍS...
Mirna Cavalcanti.
AnteScriptum
Sabedora ontem, de que hoje, o senador Paulo Paim tem programada audiência pública sobre a ‘Educação‘, postei ontem, 08 de Maio de 2013, no Facebook. Hoje cedo, comentei em sua página sobre o assunto e, quando fui fazê-lo na minha, foi impossível. O FB enviou mensagem sem motivação técnica alguma – indicativo de que, realmente, minhas matérias estão ‘incomodando‘ os adversários.
Meus objetivos são INFORMAR e ALERTAR, pois são muitos mesmo, os que desconhecem realmente o que está ocorrendo e a razão desses fatos. Assim, copio abaixo o que me foi impedido de fazê-lo compo pretendia.
Mirna Cavalcanti
Rio de Janeiro, 09 de Maio de 2016
Mensagem do senador Paulo Paim em sua página (dia 08 de maiso de 2016)

“Boa noite … Informamos-lhes de que sim , as audiências públicas estão previstas e irão acontecer,. Serão 4 essa semana que fazem parte de um ciclo de debates que já ocorre a mais de um mês.
O que estamos promovendo é um ciclo de debates e não esse circo de horrores que pessoas oportunistas tentam minar nas pessoas de bem. Assistam e participem das audiências pelo site do senador federal. Abs” (grifos nossos)
Bem, sendo ciclo sobre ‘Educação‘, encontra-se erro primário já no primeiro parágrafo:”…ciclo de debates que já ocorre a mais de um mês“. Deveria ser: “…. ciclo de debates que já ocorre HÁ mais de um mês...
Pois bem, amigos, considere-se apenas simples lapsus linguae...
No entanto, como o referido senador, escreveu também (sic) “… e não esse circo de horrores que pessoas oportunistas tentam minar nas pessoas de bem.”
Ocorre que eu postei ontem notícia – a qual foi confirmada por ele mesmo e senti-me no DEVER de escrever-lhe publicamente a mensagem abaixo, pois não participo de ‘circo de horrores‘ QUALQUER QUE SEJA, tampouco pessoa alguma tem o direito de considerar-me ‘oportunista‘…Assim, posto agora abaixo meus pensares, por lealdade aos meus Principios e respeito aos Valores que me foram ensinados por meus pais e mestres.
Mirna Cavalcanti de Albuquerque

“MENSAGEM para o SENADOR PAULO PAIM”
Senador Paim, bom dia!
Gaúcha que sou, uso da franqueza que me é característica, sem pretender, no entanto, ofendê-lo. Houve tempo em que acreditei em V.Exa. Lamento dizer que não mais é isto possível, pois seus agires referentemente aos aposentados – os que, esperançosos e necessitados, acreditando em suas promessas, votaram em sua pessoa para ver cumpri-las… O que fez, não chegou à sombra do prometido. VExa. comprometeu-se, mas muito pouco mesmo , fez… Afinal, recebeu o que buscava: mais 8 anos de mandato…
Quanto ao motivo deste artigo
Veremos se realmente a convocação dos representantes dessas instituições estarão lá com o objetivo que afirma… Já que ‘pública‘ a audiência, poderão entrar também os membros desses ‘movimentos baderneiros‘ e tumultuar o momento grave pelo qual passa o país.
Considerando-se o estado precário da EDUCAÇÃO no Brasil, as grades curriculares cada vez mais fracas, a intromissão indevida do Estado ao INDUZIR – não CONDUZIR – os estudantes à informação e ao raciocínio correto… ao estar seguindo o projetado pelo Foro de são Paulo e o famigerado PNDH3… ao pagar salário miserável aos professores, ao oferecer cartilhas sobre sexo a inocentes crianças, ao faltar até mesmo dinheiro para o alimento dos alunos carentes (enquanto que ‘sobra’ para emprétimos vultosos para países dirigidos por sanguinários ditadores comunistas)… Quer fazer-nos V. Exa. crer ser a Educação ‘prioridade‘ desse governo carente de Princípios? “Pátria Educadora”??? Lamento dizer não terá sucesso…
Afinal, o tal “CICLO” será hoje, segunda, 09/05/2016… Justamente em dia que é dificil encontrar-se uma alma nos corredores do Congresso…
Não creio em ‘coincidências‘, senhor senador … Se estiver errada, ‘penintenciar-me-ei‘ publicamente. Caso contrário, agirei como cidadã e gaúcha, consoante tenho feito durante toda a minha vida – com lealdade e franqueza.
Peço-lhe PENSE nos seus eleitores e no país… Não se poderão aceitar desculpas quaisquer que sejam – muito menos a de que “os membros desses movimentos sairam de fora do controle de V. Exa. pois estavam a defender o Brasil do que os petistas e aliados errôneamente chamam de ‘golpe‘ “.
Saudações gaúchas,
Mirna Cavalcanti de Albuquerque
Rio de Janeiro, 09 de Maio de 2016

domingo, 5 de julho de 2015

Le'blon - So Much Money [Videoclipe Oficial. 4K ]





Desde que o 'clip' foi filmado até agora, TUDO só tem piorado... triste a 



realidade... Por isso, toda e qualquer manifestação do pensamento sobre 



o assunto - se bem feita - e sem agredir - apenas refletir a realidade - é 



bem vinda, pois seguir apenas sofrendo as consequências de toda a 



sorte do que está ocorrendo, sem demonstrar o 'desagrado', é estar 



conivente. Respeite-se os seres cujos pensamentos divergem dos 



nossos, mas expressemos os nossos. Estamos ainda em uma 



democracia.



Mirna Cavalcanti

terça-feira, 30 de junho de 2015

"Cruz de Fogo"... "Guarda-Sorriso"

                                         
Que a Justiça tenha os olhos desvendados e seja distribuída por julgadores que estejam realmente cônsicios do munus que exercem.



Introdução

Nasci em uma família – minha referência e raiz -  que muito me ensinou e serviu  de exemplo positivo, mesmo não sendo perfeita. Em seu seio aprendi a ser gente... ensinou-me agires corretos. Retidão de caráter, amor à verdade, solidariedade e o quanto pode a força de vontade quando estamos à busca de um sonho: futuro digno para nós e os demais...

Desconheço sentimentos menores, sou um ser consciente em incessante evolução. Expresso sinceramente meus agradecimentos aos que me auxiliam, mesmo quando ocorrem por motivos que sei mesquinhos.

Em mim mesma, fundamentada na fé, na razão e nos sentires mais elevados e puros,  encontro a força que preciso para seguir adiante, jamais tendo feito mal a quem quer que seja.

Desde muito cedo, notei o quanto tenho sido agraciada por Deus. As qualidades com as quais me dotou,  em harmonia com a educação que recebi, tornou-me quem hoje sou. Óbvio que há em mim humanas imperfeições, como é certo que  estas são em muito suplantadas por minhas qualidades e cônscia daquelas, mais certo ainda é que busco aperfeiçoar-me no transcorrer de todos os dias.

Desde que passei a pensar na vida (quando iniciei a verbalizar sentimentos e pensamentos), em meu caminho tenho encontrado mestres que o tem iluminado e deles tenho haurido conhecimento. Muitos deles já partiram, outros cá ainda estão.
Há alguns anos, li uma Decisão do juiz João Baptista Herkenhof e a partir de então, passei a procurar ler tudo o que escrevia. Com o advento da internet e tudo o mais que proporciona de bom, encontrei o juiz em questão e ele gentilmente tem-me enviado alguns de seus artigos e eu os posto, pois  há que compartilhar seus ensinamentos.
É o que faço hoje com alegria. Leiam-no tanto os que militam na área do Direito quando os demais – principalmente os que estão descrentes dos agires dos distribuidores da Justiça, por existir, entre os mesmos, os que jamais deveriam exercer tão nobre munus.

Mirna Cavalcanti de Albuquerque
Rio de Janeiro, 30 de Junho de 2015


"Guarda-Sorriso"


                               
João Baptista Herkenhoff



                                                           

                                               

          Vitória não é uma grande metrópole mas, mesmo assim, as pessoas desaparecem. Onde estará um guarda de trânsito que, por tratar os motoristas e cidadãos em geral com extrema delicadeza, era chamado Guarda-Sorriso?
          Eu o vi numa audiência há quatro décadas, quando ainda exercia a função de Juiz de Direito, e nunca mais voltei a encontrá-lo.
          Nessa audiência o Guarda-Sorriso compareceu como vítima, pois fora desacatado por uma moça que o  chamou de guardinha. Essa moça, no horário do rush, sendo péssima motorista, foi sucessivamente multada pelo guarda porque sucessivamente cometeu infrações. O veículo sofreu um problema mecânico. Tentando safar-se da situação embaraçosa, parou o carro onde não podia parar, deu marcha a ré indevido, avançou quando não podia avançar, provocou uma balbúrdia no trânsito. Ao receber as multas, corretamente aplicadas, a infratora chamou o Guarda-Sorriso de guardinha, um procedimento desrespeitoso e injusto.
          À face da lei, a moça deveria ser condenada nas sanções do artigo 331 do Código Penal, assim redigido:
“Desacatar funcionário público no exercício da função ou em razão dela. Detenção, de seis meses a dois anos, ou multa.”
A acusada, arrimo de família, tinha feito um concurso público, foi aprovada e estava para ser nomeada. A condenação, ainda que na pena mínima (multa), impediria a nomeação. A multa administrativa não gera este efeito, mas a multa criminal sim.
          O Guarda-Sorriso, demonstrando a altitude de sua nobreza, pediu que a acusada fosse absolvida porque, além de tudo que já constara dos autos, a Mãe de sua agressora era idosa e estava enferma.
          Como agir à face do caso concreto:
          a) condenar a acusada e lhe fechar o futuro?
          b) absolvê-la e atender o pedido de clemência do Guarda-Sorriso?
c) a piedade da vítima demonstrou grandeza espiritual mas não era juridicamente procedente, pois se tratava de uma ação pública; a injúria não alcançava apenas a pessoa do guarda, mas também a função que desempenhava como agente do Estado; desprezar então a lei naquele caso concreto?
Pareceu-me que não seria justo destruir o futuro da moça e alcançar com a sentença as pessoas que dela dependiam financeiramente. De fato, o perdão do ofendido não extinguia o delito mas seria ilógico desprezá-lo. Lavrei decisão absolutória.
Tantos anos depois, fico a meditar.
 Era preciso que houvesse muitos guardas-sorriso, muitos homens-sorriso, muitas crianças-sorriso, para tornar menos agreste este mundo tão tenso, tão competitivo, tão cruel.
Esteja você onde estiver, receba Guarda-Sorriso José Geraldo Morais minha palavra de admiração.

João Baptista Herkenhoff é magistrado aposentado (ES), professor e escritor. E-mail: jbpherkenhoff@gmail.com

É livre a divulgação deste artigo, por qualquer meio ou veículo, inclusive através da transmissão de pessoa para pessoa.